Associação Livre

Ainda sobre a formação e instituições psicanalíticas

Por Aline Sieiro em 28/07/2010 18:22

Para ler o texto inteiro, clique aqui.

Sobre a Psicanálise e os Conselhos de Fiscalização Profissional

Considerando o surgimento recente de cursos que prometem formar “psicanalistas clínicos”, expedir diplomas de “bacharel em psicanálise” e proceder inscrição dos egressos em “Conselho Regional de Psicanálise”, temos a informar o que se segue:

A Psicanálise é uma teoria a respeito da personalidade humana que incorpora um conjunto de métodos destinado tanto à produção do conhecimento a respeito da personalidade, quanto à intervenção clínica com vista à cura de distúrbios. Enquanto corpo teórico, com seus pressupostos e explicações, tem sido divulgada e utilizada para fundamentar análises em várias áreas da atividade humana, como na interpretação da simbologia de textos literários. Enquanto instrumento de compreensão e intervenção clínica, constitui-se uma opção, dentre outras, para o diagnóstico e a assistência psicoterapêutica.

(…)

A psicanálise, por ser uma abordagem teórica e metodológica que, enquanto instrumento de assistência clínica psicológica, é utilizada em profissões já regulamentadas, não se constitui nem deve se constituir profissão independente.

A aprendizagem dessa abordagem, por parte dos psicólogos, se dá inicialmente no curso de graduação, em disciplinas específicas, e tem sido complementada em cursos de pós graduação oferecidos pelas entidades e grupos que congregam especialistas. Essas entidades e grupos possuem critérios e procedimentos próprios para a formação plena do profissional, que em regra incluem três atividades indissociáveis, os cursos teóricos, a supervisão de casos e a análise pessoal.

Portanto, não existe no mundo jurídico o título de bacharel em psicanálise, a profissão de psicanalista e muito menos a de psicanalista clínico. Qualquer curso, em nível de graduação, que prometa a formação de profissionais com essa denominação, está fazendo propaganda enganosa e, portanto, lesando o consumidor, o que poderá constituir nas infrações previstras nos arts. 7o, VII e 66, 67, da Lei nº 8.137/90 (Código do Consumidor).

(…)

Sendo assim, um curso de psicanálise jamais poderia gerar o direito a diploma de “Bacharel em Psicanálise”, nem tampouco, o título de “Psicanalista Clínico”. E é também ilegal a criação do “Conselho Regional Psicanalítico” ou “Conselho Federal Psicanalítico” por via cartorial.

(…)

Não fosse suficiente, à toda evidência, sequer seria possível a criação da “profissão de Psicanalista ou Psicanalista Clínico”, ainda que ultrapassado o processo legiferante federal, uma profissão não pode ser criada a partir dos recursos utilizados pelos profissionais de saúde mental para o exercício de suas atividades. Ou seja, a Psicanálise, assim como a Gestalt, o Behaviorismo, a Fenomenologia, a Psicologia Analítica e muitas outras abordagens teóricas são instrumentos de intervenção dos profissionais, não fazendo qualquer sentido serem tratadas como objeto específico que justifique a criação de uma profissão.

Comentários

  1. Olá, por favor gostaria de uma indicaçao sobre formação em psicanalise na modalidade EAD, lembrando que estou no maranhão e por estas areas aqui nao tem escolas de formação neste sentido, nao queria ficar excluido desta formação pelo o fato de não ter na região, sendo que a EAD vem crescendo cada dia

  2. Ivan,

    Por enquanto ainda não existe nenhuma formação em Psicanálise EAD. As que oferecem esta modalidade não são reconhecidas e nem fazem parte do conglomerado de instituições psicanalíticas reconhecidas do Brasil. Muitas cidades fazem formações em formatos especiais para quem mora em outras cidades. Quem sabe essa não seja uma opção para você?

Enviar um Comentário