Associação Livre

Arquivo para a Categoria: Poesia

Fernando Pessoa

Por Aline Sieiro em 30/05/2008 20:26

Essa é pra quem gosta de Fernando Pessoa, como eu. A Globo News vai passar uma série especial sobre ele.

http://especiais.globonews.globo.com/fernandopessoa/

Categorias: Poesia, TV Sem Comentários

Fernando Pessoa III

Por Aline Sieiro em 24/03/2008 16:57
Tenho pena e não respondo

Tenho pena e não respondo.
Mas não tenho culpa enfim
De que em mim não correspondo
Ao outro que amaste em mim.

Cada um é muita gente.
Para mim sou quem me penso,
Para outros --- cada um sente
O que julga, e é um erro imenso.

Ah, deixem-me sossegar.
Não me sonhem nem me outrem.
Se eu não me quero encontrar,
Quererei que outros me encontrem?

                  Fernando Pessoa
Categorias: Poesia Sem Comentários

Fernando Pessoa II

Por Aline Sieiro em 24/03/2008 16:55
Não, não é cansaço...

Não, não é cansaço...
É uma quantidade de desilusão
Que se me entranha na espécie de pensar.
É um domingo às avessas
Do sentimento,
Um feriado passado no abismo...
Não, cansaço não é...
É eu estar existindo
E também o mundo,
Com tudo aquilo que contém,
Como tudo aquilo que nele se desdobra
E afinal é a mesma coisa variada em cópias iguais.

                     Álvaro de Campos
Categorias: Poesia Sem Comentários

Fernando Pessoa

Por Aline Sieiro em 24/03/2008 16:53
O que há em mim é sobretudo cansaço

O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.

A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto alguém.
Essas coisas todas -
Essas e o que faz falta nelas eternamente -;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.

Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada -
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque eu quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...

E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço.
Íssimo, íssimo. íssimo,
Cansaço...

                      Álvaro de Campos
Categorias: Poesia Sem Comentários

Corpo

Por Aline Sieiro em 10/09/2007 16:09

O olhar que se olha a pessoa perfeita é um olhar raro.
Esse olhar te vê com o corpo lindo que você tem, em cada detalhe.
Esse olhar passa minutos percorrendo cada detalhe único do seu corpo nú, maravilhado.
Cada coisa é perfeita no conjunto de quem você é.
Toda mulher, ao menos uma vez na vida deve sentir esse olhar para si, e nunca mais esquecerá
A sensação de ser vista para além de seus defeitos.