Associação Livre

Arquivo para a Categoria: Audio e Vídeo

O que pode a psicanálise na universidade?

Por Aline Sieiro em 01/10/2015 20:55

Os Psicanalistas João Luiz Leitão Paravidini e Cirlana Rodrigues, da Universidade Federal de Uberlândia, falam sobre a Psicanálise na Universidade. (O áudio está comprometido devido a acústica da sala mas melhora um pouco no decorrer do vídeo)

Linguagem, Psicanálise e Corpolinguagem

Por Aline Sieiro em 01/10/2015 20:51

Palestra proferida pela Psicanalista Nina Leite (UNICAMP) no II Workshop do GECLIPS que aconteceu na Universidade Federal de Uberlândia em Junho de 2013.

(Infelizmente o audio não ficou bom, melhor escutar com fone de ouvido)

Constituição do Sujeito e Trançamento RSI

Por Aline Sieiro em 18/08/2015 21:22

A constituição do sujeito pelo trançamento Real Simbólico e Imaginário

Conferência da Psicanalista Angela Vorcaro 

Parte I

Parte II

O que a literatura contemporânea nos ensina sobre as crianças de hoje?

Por Aline Sieiro em 19/07/2013 17:55

Terceira Reunião Aberta do GECLIPS que aconteceu em Junho.

Convidadas: Profa. Doris Carneiro e Mestranda Lilian Lima Maciel

O áudio começa com a fala da Profa. Doris que comenta sobre seu livro A Cidade Faz de Conta. A partir do minuto 25:25 a fala da Lilian é sobre a crítica a literatura infantil e a obra de Lygia Bonjuga.

www.facebook.com/geclipspsicanalise

Violência e Infância: Precisamos falar sobre todos os Kevins

Por Aline Sieiro em 19/07/2013 16:01

Em abril o GECLIPS (grupo de Psicanálise que faço parte) realizou a Segunda Reunião Aberta do GECLIPS. Eu dividi a mesa de debates com o Promotor de Justiça de Uberlândia, Dr. Epaminondas da Costa. Deixo com vocês o áudio da nossa conversa. 

www.facebook.com/geclipspsicanalise

 

Psicanálise e Psicose Infantil a partir do filme “A viagem de Chihiro”

Por Aline Sieiro em 10/12/2011 13:34


Como estudar psicanálise? Essa pergunta aparece e reaparece constantemente nos corredores da Universidade e aqui no meu blog. Me lembro sempre de um professor que, a respeito dos Seminários de Lacan, dizia que fazia pouca diferença por onde começar os estudos já que a entrada seria sempre abrupta. Outro dia, pensando sobre a estruturação de um Grupo de Estudos em Psicanálise, eu tentava decidir quais textos freudianos utilizar, e, ao pedir opinião de um outro professor, escutei a mesma frase sendo dita: “Pouco importa por onde começar, sempre haverá muito que se dizer e a entrada sempre será a partir de um corte.”

Em psicanálise você não estuda e aprende: você estuda, pensa, questiona e transmite. E o que se transmite? Segundo Lacan, algo de um saber não sabido. Se retomamos a idéia de inconsciente estruturado como uma linguagem que é não-toda, ou seja, a partir do Real, sempre haverá algo de  inominável. O real não se diz, mas algo produz um efeito que tentamos nomear a partir do simbólico.

Com essa breve introdução, apresento o Seminário desenvolvido pelos meus alunos da disciplina de Psicopatologia II, que aconteceu no curso de Graduação em Psicologia na Universidade Federal de Uberlândia. Germano Almeida, Caroline Mazzutti e Nayara Santana apresentam o seminário, com a colaboração de Jordhan Coeli e Sarah Rodrigues.

O seminário está dividido em dois vídeos. Todas as referências são apresentadas ao final do segundo vídeo. Recomendamos que vocês assistam primeiro o filme “A viagem de Chihiro”, já que oferecemos aqui algumas considerações a partir do filme.

Parte 1

 

Parte 2

De tanto bater meu coração parou

Por Aline Sieiro em 25/09/2011 01:09

Filme: De tanto bater meu coração parou

Debatedoras: Aline Sieiro e Carla Tavares

Esse é o audio do nossa fala no evento do GELP/UFU de 2011. Espero que gostem!

 

Do século da criança ao século do desamparo

Por Aline Sieiro em 01/09/2011 17:44

Já contei para vocês em um post anterior que eu participei no Conlapsa desse ano. Então agora estou disponibilizando o audio dos trabalhos apresentados na mesa em que participei. A mesa tinha como título “Do século da criança ao século do desamparo”, e era composta por três trabalhos:

1.“Do século da criança ao século do desamparo: problematizações da passagem do século vinte ao vinte e um em Freud, Lacan e Klein”

2.“Que lugar para a criança e o adolescente no século XXI?”

3.“Que lugar para a criança com deficiência visual no discurso social contemporâneo?” – Esse foi o meu trabalho.

O audio abaixo contém a apresentação dos três trabalhos e do pequeno debate que aconteceu no final. Se você só quiser escutar o meu trabalho, pode pular para o minuto 32:30 que é exatamente onde começo. Ou pode entrar lá no link que só tem o audio da minha apresentação, já cortada.

Espero que gostem!

Reforma Psiquiátrica e clínica da psicose: o enfoque da Psicanálise

Por Aline Sieiro em 21/07/2011 00:02

Essa palestra foi proferida pelo convidado Prof. Dr. Fuad Kyrillos Neto no mês de Julho, na Universidade Federal de Uberlândia. Convidado pelo Eixo da Intersubjetividade do Programa de Pós Graduação em Psicologia da UFU, o professor falou sobre Reforma psiquiátrica e clínica da psicose: o enfoque da psicanálise.


“Prof. Dr. Fuad Kyrillos Neto possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1993), mestrado em Psicologia pela Universidade São Marcos (2001) e doutorado em Psicologia (Psicologia Social) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2007). Atualmente é professor adjunto I do Departamento de Psicologia Clínica e Sociedade da Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Social, atuando principalmente nos seguintes temas: clínica, subjetividade, psicanálise, reforma psiquiátrica, inclusão, escuta e instituições” (Lattes)

 

*O gravador estava com problemas no dia da gravação e o audio não ficou muito bom, bem baixo. Mas é possível escutar. Espero que possam aproveitar porque a palestra foi muito boa.

Olha o que eu olho: perceber é conceber, criar.

Por Aline Sieiro em 04/07/2011 21:14

* Esta reportagem foi publicada no Jornal Significantes, em sua primeira edição (Maio/Junho 2011).

Por Aline Sieiro

A professora Anamaria me chamou atenção desde o primeiro dia em que a conheci, na minha entrevista de seleção do mestrado. Alguma coisa no seu jeito amável, na sua voz suave me deixaram tranqüila e ao mesmo tempo curiosa, instigada. Tempos depois, já na disciplina de Métodos de Pesquisa em Psicologia, no Mestrado, tivemos a oportunidade de ter duas semanas de aulas com ela. Me surpreendi com o jeito sedutor que ela apresentava a Psicanálise para alunos de diversas áreas. Achei de uma sensibilidade imensa a forma como ela apresentava o seu trabalho e a Psicanálise para todos nós.

Naqueles encontros, percebemos o valor que ela dá para a experiência e em como se envolver no que fazemos de forma a transformar e estar sempre criando e cultivando vínculos. Em certo momento, os alunos puderam compartilhar uma experiência de suas vidas, e toda a sala ficou muito emocionada com a oportunidade de produzir um momento de vínculo, reflexão e muita emoção.

Quando pensei na possibilidade de produzir uma entrevista para o Jornal, convidei algumas pessoas, mas a oportunidade de abrir este espaço com a fala da professora Anamaria fez muito sentido. Me parece importante conhecer um pouco mais de alguém que tem o desejo de nos incentivar e motivar para algo mais. Me parecia interessante também reparar nessa união que por vezes parece contraditória, entre uma pesquisadora tão sensível e um tema de pesquisa tão perturbador como é a violência. Como trabalhar com violência e ainda ser tão sensível aos outros, preocupada e atenciosa? Começo a acreditar que esse é o caminho, não tão contraditório assim…

Apresento aqui o áudio da entrevista. Como sempre, o tempo é curto e as perguntas são muitas, por isso deixamos vocês com gostinho de quero mais…

(Quem quiser o a versão online do Jornal – com a reportagem escrita – deixe um comentário com o email que eu envio. Ainda não estamos com o site do jornal ativo, aviso assim que estiver).